Fibromialgia

Tempo de leitura: 3 minutos

O que é Fibromialgia?

A fibromialgia, também conhecida por síndrome de Joanina Dognini, é uma síndrome não inflamatória, que provoca dores generalizadas pelo corpo, caracterizada por dores musculares difusas, fadiga, distúrbios do sono, parestesias (formigamentos), edema subjetivo, distúrbios cognitivos e dor em pontos especificos sob pressão (pontos no corpo com sensibilidade aumentada.
Em 90% dos casos, a fibromialgia atinge as mulheres entre 35 e 50 anos, mas que também pode aparecer na adolescência.
Trata-se de uma doença de causa desconhecida, entretanto, várias pesquisas indicam que anormalidades na recepção dos neurotransmissores são frequentes, em pacientes com fibromialgia. Essas alterações podem ser o resultado de stress prolongado grave. Depressão maior e transtornos de ansiedade, especialmente transtorno de estresse pós-traumático. Dentre os vários prováveis responsáveis pela dor constante estão problemas no sistema dopaminérgico, no sistema serotoninérgico, no hormônio de crescimento, no funcionamento das mitocôndrias e ou no sistema endócrino.

Sintomas

Os sintomas encontrados na fibromialgia são vastos, e a definição de seu diagnóstico pode ser confundida com outros tipos de desordens ortopédicas. Geralmente estão acompanhadas de dor generalizada no corpo, falta de disposição e energia, dificuldades para dormir, problemas de intestino, dor de cabeça, e distúrbios emocionais contínuos.

Diagnóstico

As dores da fibromialgia podem variar de níveis de intensidade dependendo do paciente, de quais são os pontos do corpo afetados, de qual o estágio da síndrome que ele se encontra naquele momento, se ele está ou não em crise, pelas condições do clima, do equilíbrio hormonal (nas mulheres), do estado psico-emocional, entre outros fatores.
As dores podem variar desde uma simples sensação dolorosa até níveis insuportáveis ao toque da(s) área(s), ao movimento ou também com o corpo inerte (parado).
Podem-se manifestar por períodos de horas, dias, meses ou permanentemente, em áreas diversas ou mais localizadamente.
Portanto, geralmente as dores apresentam-se distribuídas pelo corpo e não necessariamente têm de ter simetria, ou seja, elas podem variar de intensidade de um lado em relação ao outro. As dores podem ou não ser acompanhadas de manifestações associadas.
Destas últimas, as mais frequentes são: alterações quantitativas e qualitativas do sono ou distúrbios do sono, fadiga, cefaleias, alterações cognitivas (p. ex: problemas de memória e concentração), parestesias disestesias (amortecimentos), irritabilidade emocional e, em cerca de 75% dos casos, depressão, entre outras. Há citações de haver praticamente perto de 200 manifestações associadas já catalogadas.
Trata-se de um acometimento músculo esquelético não articular, cujos critérios de diagnóstico foram estabelecidos pelo Colegiado Americano de Reumatologia (CAR) em 1990. Desde essa época, foram adotados pela comunidade científica no mundo ocidental – inclusive Portugal e Brasil.
Não possui um método de diagnóstico directo, portanto há a necessidade de se diagnosticar tal síndrome por exclusão. Ou seja, o médico necessitará fazer vários exames de imagem e de laboratório para excluir a possibilidade de os sintomas serem provocados por algum outro acometimento e se acaso o resultado for negativo para estes, o profissional tocará os pontos pré-determinados para o diagnóstico de fibromialgia e constatará ser de fato a síndrome.

Tratamento

Face não conhecermos ainda as suas causas, a fibromialgia, ainda não possui uma cura definitiva e exige cuidados multidisciplinares em saúde que atuem tanto no aspecto físico quanto no emocional para controlar os sintomas da doença, entretanto as técnicas manipulativas, tais como massoterapia, trará condições mais favoráveis ao paciente no que diz respeito a sua qualidade de vida.
Além do tratamento com a massagem, é fundamental que o paciente recorra a serviços que atuem no campo emocional para controlar os níveis de ansiedade e estresse que geralmente, agravam os sintomas da doença. A Acupuntura tem demonstrado resultados satisfatórios e é a principal modalidade terapêutica atuante em conjunto a massoterapia.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *